Gestão Integrada e Sustentável de Água, Saneamento e Agricultura

Compiled by:
Katharina Conradin (seecon international gmbh), Verónica Amado (Acquawise Consulting), Edição e Adaptação: Cristina Martinho (Acquawise Consulting)

Sumário Executivo

A gestão dos recursos hídricos, do saneamento e da agricultura está naturalmente interligada. A água é um recurso com diferentes usos (doméstico, indústria, agricultura), que vai sendo contaminada com uma série de substâncias, que quando misturadas podem produzir outras ainda mais nocivas. Atualmente, as águas “contaminadas” (residuais), por questões culturais e/ou por falta de conhecimento, são consideradas como um resíduo, pois não se considera que contem um recurso importante que simplesmente se encontra no local errado, como por exemplo os nutrientes que podem valorizados na agricultura. Neste documento explica-se como o pensamento setoriale as abordagens atuais para a gestão de águas residuais são a causa de muitos problemas, entre os quais destacam-se, a escassez de água e nutrientes na agricultura, a baixa produtividade, os problemas de saúde e a poluição ambiental. De qualquer forma, apenas uma abordagem que reconhece as águas residuais como um recurso pode superar esses problemas.

Introdução 

Haverá água e nutrientes suficientespara os pequenos agricultores no futuro? Fonte: K. CONRADIN (2007)

Haverá água e nutrientes suficientespara os pequenos agricultores no futuro? Fonte: K. CONRADIN (2007)

Atualmente, os recursos hídricos estão submetidos a uma crescente pressão pelo aumento da população, pela urbanização e aumento considerável do consumo de água para usos domésticos, agrícolas e industriais, para além das alterações climáticas (em Inglês) que agrava ainda mais este problema. Todos estes processos de crescimento e desenvolvimento provocam a escassez da água e conflitos (em Inglês) mundiais, prejudicando o progresso no sentido de alcançar os Objetivos Globais de Desenvolvimento.


A mudança nos padrões de consumo, tais como o aumento da procura de produtos cárneos e lácteos, as monoculturas e a produção de biocombustíveis, aumentamo consumo de água e a necessidade de maior quantidade denutrientes para a agricultura. No caso dos países em desenvolvimento, onde os fertilizantes artificiais são caros (porque estão regidos pelos preços do mercado mundial), esta situação ainda é mais preocupante, pois os nutrientes que são retirados do solo pelo desenvolvimento das culturas não retornam à terra. Esta situação conduziu a um aumentou drástico de áreas de solo degradadas (em Inglês), cerca de 25% da superfície da terra, o que coloca em risco a subsistência de milhões de pessoas (SCIENCE DAILY 2009).

Os problemas anteriormente mencionados são bem conhecidos, mas não se reconhece a sua interdependência e continuam a ser tratados de uma forma setorial e independentemente:

A Água e as Águas Residuais

      CONRADIN (2010)

A água que provém de captações subterráneas, depois de utilizada, é descarregada diretamente nas massas de águas superficiais, sem tratamento, o que conduz ao abaixamento do nível freático e à poluição dos ecosistemas aquáticos, limitando desta forma a disponibilidade de água a longo prazo. Fonte: CONRADIN (2010)     

  • O problema que existe com as origens de água é que quando não há rios ou lagos, ou qualquer outra origem superficial, realizam-se furos e capta-se diretamente dos aquíferos. Em muitos casos, estes são sobre-exploradose não são recarregados devido a várias condições climáticas. Além disso as águas residuais produzidas, e que em alguns casos são tratadas, são descarregadas continuamente em massas de água superficiais, e não se proporcionam condições para que possam ser utilizados para recarregar os aquíferos. Isto tem como consequência o abaixamento do nível freático.
  • O abastecimento de água disponibilizado à população pode provocar a poluição dos ecossistemas aquáticos se não forem construídas estações de tratamento de águas residuais (em Inglês).

Agricultura

          CONRADIN (2010).

Atualmente existe uma abordagem linear para a gestão de nutrientes: frequentemente, estes são retirados do solo, consumidos e depois descarregados com as águas residuais em ecossistemas aquáticos, onde logicamente causam problemas graves. Fonte: CONRADIN (2010).         

Na agricultura, os produtos agrícolas retiram os nutrientes do solo e, posteriormente a serem consumidos, são excretados e descarregados com as águas residuais em massas de água, sem qualquer tipo de recuperação e valorização. Por este motivo, se estes nutrientes não forem repostos de alguma forma na agricultura, a longo prazo, ocorrerá a diminuição da produtividade e a degradação do solo. Atualmente, a fim de compensar esta situação são aplicados adubos e fertilizantes artificiais, no entanto, estes representam um consumo intensivo do ponto de vista energético e a disponibilidade de alguns dos seus componentes (por exemplo, o fósforo) é limitada (ver também o ciclo dos nutrientes em Inglês).

As abordagens setoriais ignoramum dado crucial: o ciclo da água e dos nutrientes estão inerentemente ligados. No momento em que a água é utilizada, quer na agricultura, em casa ou na indústria, está a ser contaminada, e são produzidas as águas residuais. Estas águas são consideradas como um resíduo e foco de “contaminação” com inúmeras consequências negativas para a saúde e meio ambiente. Contudo, nalguns locais, as águas residuais continuam a ser descarregadas sem controlo no meio ambiente. Esta situação poderia ser evitada se fosse realizada uma gestão adequada das águas residuais, considerando-as como um recurso valioso, que simplesmente não foi utilizado no sítio certo.


As águas residuais são um recurso que pode ser valorizado das seguintes formas:

  • As águas residuais contêm um elevado teor de nutrientes, que podem ser utilizados na agricultura ou na aquacultura (em Inglês), possibilitando a substituiçãodos fertilizantes minerais.
  • As águas residuais contêm energia, que se pode encontrar na forma de calor, e pode ser reutilizada utilizando permutadores de calor ou para a produção de biogás (em Inglês) (que também pode ser transformado em eletricidade (em Inglês)).
  • As águas residuais contêm água, que após tratamento, pode ser reutilizada para diferentes fins como a rega, lavagem, construção, entre outros.

Os benefícios das águas residuais só podem ser aproveitados se existir uma abordagem integrada de gestão da água, saneamento e agricultura:

                 SEECON (2010)

O ciclo da gestão sustentável de água e saneamento. Fonte: SEECON (2010)                

  • Cada processo de gestão dos recursos hídricos deve considerar que em cada ciclo da água a nível local (como se pode observar na figura com setas azuis) existem impactos pela utilização da água, tanto a montante como a jusante (ver Gestão Integrada dos Recursos Hídricos).
  • Sempre que a água é utilizada na agricultura, na indústria ou no nível doméstico produzem-se águas residuais. Atualmente, existem diferentes opções de saneamento (em Inglês) que tratam as águas residuais como um recurso valioso. É por este motivo, que é essencial reconhecer os potenciais usos da água residual, pois contém um elevado teor de água e nutrientes, que são essenciais para a produção de alimentos.
  • Esta abordagem deveria ser considerada a nível mundial, no entanto na prática a implementação começa localmente por exemplo: os agricultores reconhecem os benefícios do uso de água residual para arega (em Inglês), as indústrias reutilizam a água nos seus processos e as famílias utilizam a água de chuva para tomar banho ou para regar os seus jardins. É por isso que esta ferramenta online (Plataforma GISA) tem o seu principal enfoque a implementaçãoa nível local.

O enfoque da gestão da água através de uma abordagem integrada de gestão da água, saneamento e agricultura é um passo fundamental para a sustentabilidade, pois permite:

  • Fechar o ciclo da água (em Inglês) a nível local, possibilitando a recarga dos aquíferos e fornecer a água com nutrientes para a agricultura.
  • Fechar o ciclo de nutrientes (em Inglês), o que minimiza o uso de fertilizantes artificiaiscaros e fornece um fertilizante muito mais equilibrado.
  • Melhorar a segurança alimentar e até mesmo criar rendimentos adicionais.
  • Aplicar soluções que sejam socialmente aceitáveis, economicamente viáveis e ambientalmente sustentáveis (ver também Saneamento Sustentável).

Referências Library

CORCORAN, E. (Editor); NELLEMANN, C. (Editor); BAKER, E. (Editor); BOS, R. (Editor); OSBORN, D. (Editor); SAVELLI, H. (Editor) (2010): Sick Water? The central role of wastewater management in sustainable development. A Rapid Response Assessment. United Nations Environment Programme (UNEP), UN-HABITAT, GRID-Arendal. URL [Accessed: 05.05.2010].

SCIENCE DAILY (2009): One Quarter Of The World’s Population Depends On Degrading Land. In: Science Daily, Mar 27, 2009. URL [Accessed: 26.08.2010].

Leituras Complementares Library

Reference icon

ANA (Editor) (2011): Cuidando das águas. Soluções para melhorar a qualidade dos recursos hídricos. Brasília: Agência Nacional de Águas (ANA), Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). URL [Accessed: 26.06.2014].

Esta publicação corresponde à versão traduzida e adaptada do original “Clearing thewaters: a focusonwaterqualitysolutions” da UNEP, e apresenta uma revisão dos maiores contaminantes da água, assim como das atividades humanas que afetam a qualidade da água. Em detalhe apresenta os impactos que a água de fraca qualidade tem no meio ambiente, saúde humana e comunidades vulneráveis, e quantifica os custos económicos associados. Além disso, apresenta soluções para minimizar os problemas.

Language: Portuguese


Reference icon

ANDERSSON, I.; ESREY, S. (2001): Saneamento ecológico: fechando o ciclo. In: . Em: Revista de Agricultura Urbana nº 3. URL [Accessed: 27.02.2014].

Documento sucinto que explica os conceitos básicos de saneamento ecológico e os seus benefícios para a agricultura urbana.

Language: Portuguese


Reference icon

JÖNSSON, H.; SALOMON, E.; STINTZING, R.; VINNERÅS, B. (2004): Orientações de Uso de Urina e Fezes na Produção Agrícola. (= Série de PúblicaçõesEcoSanRes). Estocolmo: Instituto Ambiental de Estocolmo. URL [Accessed: 10.03.2014].

Neste documento são estabelecidas as orientações específicas para a utilização da urina e fezes humanas como fertilizante agrícola. Este estudo baseia-se nos conhecimentos científicos tal como nas experiências realizadas, publicadas e não publicadas.

Language: Portuguese


Reference icon

SCHOENNING, C.; STENSTROEM, T.A. (2004): Diretrizes para o Uso Seguro de Urina e Fezes nos Sistemas de Saneamento Ecológico. (= Série de PúblicaçõesEcoSanRes). Estocolmo: Instituto Ambiental de Estocolmo. URL [Accessed: 26.02.2014].

Estas diretrizes fornecem informações essenciais e exaustivas para a utilização segura de urinas e fezes na agricultura. São discutidos aspetos como os riscos para a saúde associados à utilização de dejetos humanos na agricultura e como minimizar os mesmos.

Language: Portuguese


Reference icon

SUSANA (Editor) (2008): Rumo às soluções de saneamento mais sustentáveis. (= Versão 1.2). Eschborn: SustainableSanitationAlliance (SuSanA). URL [Accessed: 20.02.2014].

Neste documento explica-se a noção de Saneamento Sustentável, os objetivos da SuSanA, tal como o plano para os atingir.

Language: Portuguese


Casos de Estudo Library

Reference icon

HOFFMANN, H.; RÜD, S.; SCHÖPE, A. (2009): Sistemas de Reúso de Águas Negras e Cinzas. Chorrillos, Lima, Peru. Eschborn: SustainableSanitationAlliance (SuSanA). URL [Accessed: 21.07.2014].

Este projeto desenvolveu-se num centro educativo em Chorrillos, Lima, Peru, onde se implementou um sistema de reutilização de águas negras e cinzentas. Este projeto tem por objetivo dar a conhecer como projetos de saneamento sustentáveis e ecoeficientes podem trazer benefícios para as zonas desérticas.

Language: Portuguese


Ligações Úteis

http://www.cap-net.org/ [Accessed: 06.03.2014]

A Cap-Net disponibiliza vários documentos de formação em língua portuguesa sobre o tema da GIRH, e relacionando a mesma com a economia, alterações climáticas, bacias hidrográficas e legislação.

http://www.gwp.org/ [Accessed: 27.02.2014]

Ferramenta “online” onde se pode encontrar um conjunto de documentos publicados pela GWP em diversas línguas. Podem ser encontrados em português documentos relativos à adoção de abordagens mais sustentáveis no desenvolvimento e gestão de recursos hídricos e segurança hídrica para o crescimento e sustentabilidade, tal como casos deestudo efetuados no Brasil mas em língua inglesa.

http://www.ecosanres.org/ [Accessed: 26.02.2014]

Ligação oficial do Programa “EcologicalSanitation Research” (EcoSanRes), onde são apresentadas as publicações em língua portuguesa, contém um fórum de discussão que é atualmente o mais ativo sobre saneamento ecológico. O programa EcoSanRes pretende desenvolver e promover o saneamento sustentável em países em desenvolvimento através da capacitação e gestão do conhecimento como uma contribuição para a equidade, saúde, alívio da pobreza e aumento da qualidade ambiental. Contem um conjunto de publicações em língua inglesa, chinesa, finlandesa, francesa, portuguesa, russa, espanhola, sueca, tâmul e vietnamita.

http://www.ruaf.org/ [Accessed: 27.02.2014]

Revista de Agricultura Urbana, que pode ser acedida em inglês, espanhol, francês, árabe, chinês, turco e português é uma iniciativa do Centro de Recursos para a Agricultura e Silvicultura Urbanas (RUAF). Esta funciona como uma plataforma para troca e discussões de informações sobre agricultura urbana: resultados de investigações, experiências de projetos, e análises críticas de políticas convencionais e inovadoras em agricultura urbana.

http://www.susana.org [Accessed: 06.05.2010]

The official website of the Sustainable Sanitation Alliance SuSanA. SuSanA is a loose network of a number of organizations active in the field of sanitation, founded in 2007. The goals and objectives of SuSanA are to contribute to the achievement of the MDGs, to raise awareness on what sustainable sanitation solutions are and to promote them on a larger scale. The website contains a number of Factsheets by the different SuSanA working groups on various subjects related to sustainable sanitation. There is section where everyone can upload important documents.

https://www.youtube.com/ [Accessed: 25.06.2014]

Documentário "Ouro na agricultura" realizado em Moçambique sobre o projeto "KubasisaMuganga" da WaterAid, em que se implementou a utilização de latrinas ecológicas e a utilização segura da urina como fertilizante.